Ingressos Circuito Banco do Brasil

Circuito Banco do Brasil

Veja as apresentações internacionais e internacionais para lá de especiais, comprando hoje mesmo ingressos para o Circuito Banco do Brasil 2014, na Ticketbis, com total praticidade! Desfrute ao vivo de artistas incríveis, como Kings of Leon, Linkin Park, Paramore, Skank e Nação Zumbi! Corra e garanta sua presença em um dos shows desse evento de tirar o fôlego. Em 2014, Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte receberão o Circuito e você não pode ficar de fora. Não perca essa chance!


Onde

  • Todos
  • Brasil

Próximos eventos - Brasil

Esplanada do Mineirão, Belo Horizonte, Brasil

Copa Brasil de Street Skate: 14h.
Ingresso tipo 'meia': acesso ao evento restrito a estudantes, idosos e professores de escola pública.
Ingresso tipo 'inteira': sem restrições de acesso.

A partir de R$ 430,06 27 ingressos disponíveis
Ver ingressos

Estacionamento do Estádio Nacional (antigo Estádio Mané Garrincha), Brasilia, Brasil

Copa Brasil de Skate Vertical: 14h.
Ingresso tipo 'meia': acesso ao evento restrito a estudantes, idosos e professores de escola pública.
Ingresso tipo 'inteira': sem restrições de acesso.

A partir de R$ 236,86 13 ingressos disponíveis
Ver ingressos

Campo de Marte, São Paulo, Brasil

Copa Brasil de Skate Vertical: 13h.
Ingresso tipo 'meia': acesso ao evento restrito a estudantes, idosos e professores de escola pública.
Ingresso tipo 'inteira': sem restrições de acesso.

A partir de R$ 430,72 38 ingressos disponíveis
Ver ingressos

Praça da Apoteose, Rio de Janeiro, Brasil

Copa Brasil de Skate Vertical: 14h.
Ingresso tipo 'meia': acesso ao evento restrito a estudantes, idosos e professores de escola pública.
Ingresso tipo 'inteira': sem restrições.

A partir de R$ 512,93 22 ingressos disponíveis
Ver ingressos

Vários nomes e um talento único

Set 18 Qui 11:57h.
<strong>Vários nomes e um talento único</strong> Xero, Super Xero, Hybrid Theory, Lincoln Park ... a banda californiana Linkin Park teve vários nomes antes de encontrar o atual e, aparentemente, o da sorte! O grupo deu seus primeiros passos no cenário musical, em meados dos anos noventa, como Xero. No momento era formado por Brad Delson (guitarra), Mike Shinoda (vocal), Rob Bourdon (bateria) e Darren Phoenix Farrell (baixo). O DJ Joseph Hahn se juntou ao quarteto mais tarde e, em 1998, Chester Bennington estreou como vocalista. Sem sombra de dúvida a presença do cantor fez toda a diferença nos shows. Já se sentia a mudança. Algo que você pode ver no Circuito Banco do Brasil 2014, com ingressos na mão.

Entretanto, quando Chester entrou na banda , o Linkin Park ainda não existia. Na época, o público conhecia os seis músicos pelo nome de Lincoln Park, que fazia referência ao apartamento do vocalista, localizado perto Lincoln Park, em Santa Monica! Por razões legais, tiveram que mudar mais uma vez de nome. Por fim, os artistas chegaram à Linkin Park! Logo depois, os norte-americanos gravaram um LP com a Warner! A partir daí foi só sucesso.

E é com o nome atual, o Linkin Park, e nenhum mais, que se apresentarão no Circuito Banco do Brasil 2014. Com ingressos, você poderá conferir que o nome é o que menos importa quando a banda sobre no palco.

Copa Brasil de Skate no Circuito Banco do Brasil

Set 15 Seg 14:54h.
<strong>Copa Brasil de Skate no Circuito Banco do Brasil</strong> Desde o ano passado, o Circuito Banco do Brasil se consagrou como um dos eventos musicais mais importantes do Brasil, com shows de bandas nacionais e internacionais em várias capitais do país. Esse ano, o festival promoverá apresentações de Linkin Park, Kings of Leon, Nação Zumbi, Titãs e muito mais.

Além da “enxurrada” musical, em 2014 o CBB repetirá o sucesso do ano passado, com uma competição especial de skate. É a Copa Brasil de Skate, que terá lugar em Belo Horizonte, Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro, lugares contemplados pelo Circuito esse ano.

A categoria Skate Vertical contará com etapas em Brasília, Rio e Sampa. Já a Street Skate, novidade nesta edição, será realizada em BH. Estarão presentes profissionais do Brasil e do mundo, lutando pelas melhores posições. O evento é organizado em parceria com a CBSK, Confederação Brasileira de Skate.

O skate, criado na Califórnia, EUA, nos anos sessenta, é um esporte bem popular no Brasil. Se você é fã de boa música e quer conferir manobras radicais, poderá fazê-lo no Circuito Banco do Brasil 2014, com ingressos na mão.

Banda boa é banda que briga

Set 11 Qui 12:02h.
<strong>Banda boa é banda que briga</strong> A banda norte-americana de rock Paramore é uma das atrações que você poderá conferir no Circuito Banco do Brasil 2014, com ingressos na mão. Recentemente, a vocalista da banda, a ruivinha Hayley Williams, deu uma declaração no mínimo curiosa: "banda saudável é banda que briga".

A cantora do Mississipi afirmou que o sucesso do grupo, que já vendeu milhões de cópias em todo o mundo, com apenas quatro discos de estúdio gravados, é brigar frequentemente. Para ela, as discussões fazem com que exista uma comunicação interna. Mas, lembrou o baixista Heremy Davis, são fundamentais os laços de amizades. Estes são mais importantes que os egos, todos devem ter a mesma importância no grupo e a amizade está acima de tudo.

A declaração da jovem cantora faz lembrar-se de algumas bandas que não levavam as brigas tão de boa assim. Liam e Noel Gallagher (irmãos, o que pode deixar as coisas mais tensas), do Oasis, e Axl e Slash, do Guns, são alguns dos exemplos de brigas nada pacíficas.

No Brasil, Chorão, falecido em 2013, partiu para a briga e deixou marcas em Marcelo Camelo, ex-Los Hermanos. A “treta” aconteceu no aeroporto de Fortaleza, por uma crítica de Camelo sobre a participação do Charlie Brown em um comercial de uma famosa marca de refrigerantes.

Há também quem passe as desavenças à Internet. Recentemente o “bom moço” Louis Tomlinson , do One Direction, trocou farpa no Twitter com Nick Grimshaw, melhor amigo de Harry Styles, seu colega de banda. Antes, Tomlinson havia se desentendido com os britânicos da The Wanted.

Se banda boa é banda que briga não se sabe. O que sim dá gosto de ver é que os astros são de carne, osso e muito sangue quente.

Linkin Park em 3D

Set 8 Seg 13:26h.
<strong>Linkin Park em 3D</strong> Uma das atrações do Circuito Banco do Brasil deste ano, com shows marcados em BH e em Brasília, a banda californiana Linkin Park foi impressa em 3D por uma empresa alemã. Isso mesmo! Agora há uma cópia do grupo de rock por aí. Os fãs de Chester Bennington, Mike Shinoda, Joe Hahn, Brad Delson, Rob Bourdon e David "Phoenix" Farrell podem levar para casa réplicas perfeitas (segundo a empresa), já que a empresa aceita pedidos. Cada músico pode ser comprado por 500 dólares. E se está preocupado com espaço, pode parar de fazê-lo. Os bonecos têm um tamanho reduzido, com um pouco mais de trinta centímetros.

Não apenas os roqueiros norte-americanos foram contemplados pela tecnologia. O mundo da música ganhou outras cópias geniais. Em agosto, uma empresa brasileira divulgou a produção de uma guitarra com a tecnologia de impressão em três dimensões. A peça foi criada por partes e montada com outros elementos “reais”. No mesmo mês, por meio do projeto SolidWorks, especialistas criaram um saxofone metade 3D, metade “original”.

Há quem ache a tecnologia incrível, mas há os que não se contentam com uma cópia impressa em 3D e preferem ver os meninos ao vivo, em alto e bom som, no Circuito Banco do Brasil 2014, com ingressos na mão. E você, se tivesse que escolher, ficaria com uma cópia ou com a adrenalina de um show ao vivo?

20 anos de Da Lama ao Caos, disco que revolucionou a música brasileira

Set 4 Qui 11:39h.
<strong>20 anos de <em>Da Lama ao Caos</em>, disco que revolucionou a música brasileira</strong> Há poucos álbuns capazes de provocar um burburinho tão grande no cenário cultural de um país que acabam mudando como as pessoas produzem e consomem música. No Brasil, “Acabou Chorare”, dos Novos Baianos, foi um desses, eleito o melhor disco da história da música brasileira pela Rolling Stone. Outro clássico nacional é “Doces Bárbaros”, ícone do Tropicalismo, projeto coletivo de Maria Bethânia, Caetano, Gil e Gal Costa. Não coincidentemente, ambos são dos anos setenta.

Na década de noventa, mais especificamente em noventa e quatro, “Da Lama ao Caos”, da Nação Zumbi, mostrou ao país um movimento novo, o Maguebeat. Em 2014, o disco completa vinte aninhos e continua sendo referência na cena musical. Com ele, Pernambuco começou a “falar para o mundo”” de maneira diferente.

O disco mescla ritmos regionais com outros mais tradicionais, como o maracatu e o rock. Suas letras são críticas sociais. Falam tanto da desigualdade econômica do Recife, quanto do descaso do governo fora do eixo Rio-São Paulo.

Na época do lançamento de “Da Lama ao Caos”, Chico Science era o líder da banda. Até hoje o “mangueboy” é símbolo do movimento, mesmo quase duas décadas depois da sua morte. O olindense e um grupo de artistas pernambucanos (entre eles Fred 04, autor do manifesto "Caranguejos com Cérebro") marcaram o estado no mapa da música.

Dessa forma, os shows da banda em 2014 serão verdadeiras celebrações. Afortunados os que consigam ir ao Circuito Banco do Brasil 2014, com ingressos na mão, já que o show em BH promete o melhor do Manguebeat.

Família, família! Vovô, vovó, sobrinha!

Set 1 Seg 12:02h.
<strong>Família, família! Vovô, vovó, sobrinha!</strong> Desde The Jackson 5, ou antes, para os que tenham melhor memória, o cenário musical conta com célebres bandinhas formadas por irmãos, primos, gato, cachorro, papagaio. É o caso da Kings of Leon, criada pelos irmãos boa praça Caleb, Jared e Nathan Followill e pelo primo Matthew Followill. Diferentemente dos Jacksons , conhecidos por intrigas familiares, luta por herança, violência doméstica e outras tretas, os americanos de Tennessee parecem conviver em paz e amor. O próprio nome do grupo é uma homenagem ao entorno familiar, já que Leon é o nome do avô dos três irmãos.

No Brasil parece que o estilo sertanejo quase que exige um laço familiar entre os integrantes de suas duplas. “Os Filhos de Francisco”, por exemplo, têm um passado de intensas relações familiares aliadas à música. Chitãozinho & Xororó, Leandro & Leonardo e Guilherme & Santiago aumentam essa lista sem fim.

Se por um lado trabalhar lado a lado de um membro da família pode ser vantajoso, pela intimidade e cumplicidade, por outro pode ser perigoso. Em muitos casos, o ditado “lavar roupa suja é em casa” não é seguido ao pé da letra. Bom o exemplo do Sepultura, com Max e Igor Cavalera trocando farpas em público.

Uma coisa é certa: valentes os que conseguem ter uma carreira profissional de sucesso e manter os almoços de domingo pacíficos. Quem for ao Circuito Banco do Brasil, em 2014, com ingressos para ver o Kings of Leon, pode ao vivo pode conferir que os meninos parecem estar em um bom caminho.